Nado por tudo

O Squeeze – Nado Por Tudo é uma ação que acontece no mês de junho e é promovida pela nadadora brasileira Etiene Medeiros. A campanha alerta sobre a importância do diagnóstico precoce da asma, os benefícios que a atividade física traz para a prevenção e para a conscientização sobre uma questão especial: o acesso a exames regulares e a tratamentos adequados.

 

Este site conta com uma loja virtual para a venda dos Squeezes e a renda arrecadada será revertida para GINA no Brasil, da Fundação PROAR.

Instituição parceira:

 

Com o exemplo do esporte, quero aliar com o plano da campanha do Squeeze de promover a conscientização e alertar a sociedade sobre a importância do diagnóstico e tratamento da Asma.

O que mais me motiva em fazer essa ação é contribuir com a sociedade, ajudar e motivar a busca por conhecimento sobre a causa. Quero usar o alcance que tenho, como esportista, para contribuir com o tema, amplificando a conscientização sobre a Asma.

(Etiene Medeiros)

apoiamos este projeto

sobre a campanha

Conhecer um pouco sobre essa doença é essencial para o tratamento

É uma doença comum das vias aéreas ou brônquios (tubos que levam o ar para dentro dos pulmões) causada por inflamação das vias aéreas.  Entre os sintomas, estão falta de ar ou dificuldade para respirar, sensação de aperto no peito ou peito pesado, chio ou chiado no peito e tosse. Esses sintomas variam durante o dia e podem piorar à noite ou durante a madrugada, como também com o esforço, diante de exposição a alérgenos, à poluição ambiental e a mudanças climáticas.

A prática regular de exercício físico é parte de um estilo de vida saudável. Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, ao consultar o médico, a pessoa com asma bem controlada pode fazer um plano de atividade física, orientado por profissional especializado, o que permite bem-estar e qualidade de vida.

Vários fatores ambientais e genéticos podem gerar ou agravar a asma. Entre os aspectos ambientais, estão a exposição à poeira, aos ácaros e fungos, às variações climáticas e infecções virais (especialmente o vírus sincicial respiratório e rinovírus, principais agentes causadores de pneumonia e resfriado, respectivamente). Para os fatores genéticos, destacam-se o histórico familiar de asma ou rinite e obesidade, já que pessoas com sobrepeso têm mais facilidade de desencadear processos inflamatórios, como a asma.

Vamos falar agora sobre prevenção da asma?

É possível controlar as crises e até prevenir que elas aconteçam com algumas medidas simples. Confira:

– Mantenha o ambiente limpo
– Evite acúmulo de sujeira ou poeira
– Tome sol com proteção. A vitamina D está relacionada a uma série de doenças do aparelho imunológico, como a asma
– Evite cheiros fortes
– Tome a vacina da gripe
– Não fume
– Agasalhe-se, principalmente na época de frio
– Pratique atividades físicas regularmente
– Tenha alimentação saudável
– Beba bastante líquido (água)
– Mantenha o peso ideal

A asma afeta tanto crianças quanto adultos. É um problema mundial de saúde e que acomete cerca de 300 milhões de pessoas. Estima-se que, no Brasil, aproximadamente 20 milhões de pessoas vivam com asma, que é uma causa importante de faltas escolares e no trabalho.

Em levantamento encomendado pela Boehringer-Ingelheim com dados coletados pelo Ibope, 15% dos entrevistados disseram ter asma. Entre eles, 72% deles afirmaram perceber que faltar ao trabalho e prejudicar atividades de rotina são os principais impactos da doença. Já uma pesquisa global realizada pela Kantar Health, que contou com a participação de 200 brasileiros e buscou compreender a influência da asma na produtividade do funcionário, revelou que 89% dos pacientes afirmaram que a doença afetou o rendimento ao longo do expediente.

Segundo o DataSus, o banco de dados do Sistema Único de Saúde (SUS), ligado ao Ministério da Saúde, ocorrem no Brasil, em média, 350 mil internações anualmente. A asma é a terceira ou quarta causa de hospitalizações pelo SUS (2,3% do total).

A causa exata da asma ainda não é conhecida, mas se acredita que é causada por um conjunto de fatores: genéticos (história familiar de alergias respiratória – asma ou rinite) e ambientais. Os gatilhos da asma são fatores que, quando a pessoa com a doença é exposta a eles, podem piorar muito o problema ou fazer aparecer sintomas. Alguns gatilhos apenas pioram os sintomas, enquanto outros pioram também a inflamação dos brônquios. Confira:

Ácaros – Habitam locais onde há acúmulo de poeira, como colchões e travesseiros, carpetes, bichos de pelúcia, estantes, papéis e até animais com pêlo. Os ácaros e seus excrementos pioram a asma por aumentar a inflamação dos brônquios.

Fungos – Micro-organismos que crescem a uma temperatura  acima  de 37ºC e umidade acima de 50%. São encontrados no fim do verão e no outono, estações em que predominam ventos quentes. Casas escuras, úmidas e mal ventiladas são ideais para o crescimento dos fungos. Os fungos podem crescer no sistema de ar-condicionado, paredes de banheiros e fendas de superfícies, além de se misturar com a poeira dos carpetes, colchas, livros e refrigeradores. São micro-organismos que também pioram a asma por aumentar a inflamação dos brônquios.

Pólens – São gatilhos comuns (flores, gramas e árvores) que predominam fora de casa sendo carregados pelo vento. A polinização se dá  após uma chuva prolongada, seguida de um clima seco sendo comum na primavera. Os pólens também pioram a asma por aumentar a inflamação dos brônquios.

Animais de estimação – Os pêlos de animais podem piorar a asma, mas o grau e a frequência da exposição é que determinarão os sintomas. Além dos pêlos, a descamação da pele do animal, a saliva, a urina e outros tipos de excreções podem ser gatilhos da asma.

Infecções virais – São capazes de causar sintomas de asma ou de piorá-la. Entre elas, está a gripe.

Fumaça de cigarro – Pessoas que têm asma com pais fumantes estão sujeitas a piora dos sintomas e da própria gravidade da asma. A fumaça do cigarro, além de Aumentar os sintomas, também pode aumentar a inflamação dos brônquios.

O tratamento da asma deve ser orientado pelo médico. A maioria dos pacientes com asma é tratada com dois tipos de medicação: uma que serve para prevenir o aparecimento dos sintomas e evitar as crises de asma e outra indicada para aliviar os sintomas quando houver piora da asma.

Em todos os casos, é preciso reduzir a exposição aos fatores desencadeantes da asma. O Sistema Único de Saúde (SUS) fornece tratamento gratuito por meio do Programa Farmácia Popular. Medicamentos podem ser obtidos gratuitamente com a apresentação do CPF do paciente e da receita médica.

Fontes: Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia.

lojinha

A renda arrecadada nas vendas será revertida para a GINA do Brasil/PROAR. Compre já e ajude essa causa.

Squeeze Nado Por Tudo

 

R$ 19,90 *

comprar

* O valor do frete é calculado a parte